FRATURAS

 

Fratura:

É a ruptura total ou parcial do osso e podem ser fechadas ou expostas.

 

Fratura fechada:

Na fratura fechada não há rompimento da pele, ficando o osso no interior do corpo.

 

Fratura exposta:

Fratura na qual há rompimento da pele. Beste tipo de fratura ocorre simultaneamente um quadro de hemorragia externa, existindo ainda o risco iminente de infecção.

 

Identificação:

Dor local:

Uma fratura sempre será acompanhada de uma dor intensa, profunda e localizada, que aumenta com os movimentos ou pressão.

 

Incapacidade funcional:

É a incapacidade de se efetuar os movimentos ou a função principal da parte afetada.

 

Deformação ou inchaço:

Ocorre devido ao deslocamento das seções dos ossos fraturados ou acúmulo de sangue ou plasma no local. Um método eficiente para se comprovar a existência de deformação é o de se comparar o membro fraturado com o são.

 

Crepitação óssea:

É um ruído produzido pelo atrito entre as seções ósseas fraturadas. Este sinal, embora de grande valor para diagnosticar uma fratura, não deve ser usado como método de diagnóstico para não agravar a lesão.

 

Mobilidade anormal:

É a movimentação de uma parte do corpo onde inexiste uma articulação. Pode-se notar devido à movimentação anormal ou à posição anormal da parte afetada. Este método, assim como o anterior, não deve ser forçado. No caso de dúvida, sempre considerar a existência da fratura.

 

Tratamento da fratura fechada:

· Aplicar tração em fraturas de membros sempre que possível;

· Imobilizar a fratura mediante o emprego de talas, dependendo das circunstâncias e alinhamento do osso;

· Imobilizar também a articulação acima e abaixo da fratura para evitar qualquer movimento da parte atingida;

· Observar a perfusão nas extremidades dos membros, para verificar se a tala ficou demasiadamente apertada;

· Verificar presença de pulso distal e sensibilidade;

· Tranqüilizar o acidentado mantendo-o aquecido e na posição mais cômoda possível;

· Prevenir o estado de choque;

· Remover a vítima em maca;

· Transportar para o hospital.

Obs: Como em qualquer traumatismo grave, a dor e o estado psicológico (stress) podem causar o choque, devendo o socorrista preveni-lo.

Em fraturas anguladas ou em articulações não se deve tracionar. Imobilizar como estiver.

 

Tratamento da fratura exposta:

Este tipo de fratura é caracterizado pela hemorragia abundante, risco de contaminação, bem como lesões de grande parte do tecido. As medidas de procedimento são:

· Gentilmente, tentar realinhar o membro;

· Estancar a hemorragia, mediante emprego de um dos métodos de hemostasia;

· Não tentar recolocar o osso no interior da ferida;

· Prevenir a contaminação, mediante assepsia local, mantendo o ferimento coberto com gaze esterilizada ou com as próprias roupas da vítima (quando não houver gaze);

· Imobilizar com tala comum, no caso de fratura onde os ossos permaneçam no seu alinhamento, ou empregar a tala inflável, a qual estancará a hemorragia (tamponamento) e prevenirá a contaminação;

· Se não for possível realinhar a fratura, imobilizá-la na posição em que estiver;

· Checar a presença de pulso distal e sensibilidade;

· Nos casos em que há ausência de pulso distal e/ou sensibilidade, o transporte urgente para o hospital é medida prioritária;

· Prevenir o estado de choque tranqüilizando a vítima e evitando que veja o ferimento;

· Remover a vítima em maca;

· Transportar a vítima para o hospital.

Obs: Fraturas e deslocamentos na região do ombro (clavícula, omoplata e cabeça de úmero) devem ser imobilizadas com bandagem.